quarta-feira, 30 de março de 2011

Porque a tristeza, pra me desesperar mais ainda, não tem desespero. Ela é o que é. E as coisas sem desespero é que são verdadeiramente tristes...

Ao contrário do que muitos pensam, não é o ritmo ou a letra de uma música que a tornam triste. Mas sim, as lembranças
que ela remete. Por mais que a batida seja rápida e o conteúdo seja alegre, se você sente alguma nostalgia ouvindo-a,
você ficará depressivo. Principalmente, se essa música lembra momentos… ou ainda pior, pessoas.

5 comentários:

Marcelo Mayer disse...

felicidade é uma arma quente... e a tristeza?

Ana Agarriberri disse...

Nossa, justo hoje que tô naquelas de masoquista musical, chego aqui e leio isso. Essa verdade. O pior é que sabemos o que as músicas irão nos causar, e ainda assim, ouvimos mil vezes, não é?

Beejo,beejo. =)

Evanir disse...

Querida estou aqui no seu blog por indicação.
Fui entrar num blog como leio antes de seguir ,
Ela saiu de féria e fez indicação do seu blog para seguirmos.
E aqui estou amei seu espaço e convido a conher se possivel seguir também.
beijos ,Evanir.

http://aviagem1.blogspot.com/
E
www.fonte-amor.zip.net

Natália Rocha disse...

Pura verdade!
Não é a música, são as lembranças.
Verdade mais que verdadeira.
rs

Adorei o termo usado pela Ana, masoquista musical.
;)
Sou bem assim.
:/

Beijos, Rô!
Lindo dia pra ti*

Dave disse...

Não acredito que seja a música ou as músicas em si, e sim as lembranças que as mesmas trazem a tona.

Beijo!