sexta-feira, 17 de junho de 2011

Depois de tantas buscas, encontros, desencontros, acho que a minha mais sincera intenção é me sentir confortável, o máximo que eu puder, estando na minha própria pele. É me sentir confortável, mesmo acessando, vez ou outra, lugares da memória que eu adoraria inacessíveis, tristezas que não cicatrizaram, padrões que eu ainda não soube transformar, embora continue me empenhando para conseguir. (Ana Jácomo)

Mente é casa que não tem paredes, mas nos acostumamos a viver como se tivesse. E, não é raro, passamos temporadas no cômodo mais apertado...

7 comentários:

Brunaa disse...

AInda bem entao, beijinhos

Um quotidiano a 1001 cores disse...

sim, já estou de férias! :)

ღ Sensitivity ღ disse...

Eu também quero me sentir confortável. Não podemos viver sempre em um cômodo apertado, precisamos da liberdade. Beijinhos.

ATÉ QUANDO VAI DOER? disse...

Oi!!Mandou muito bem nessa postagem...é a mais completa tradução do que eu sinto sabia?? identificação imediata!!
Também adoro passear por aqui, me sinto em casa...rs
Obrigada pela visita e pelo carinho!!
Bjkas da Val

Fernanda disse...

adorei! bom domingo!

angel red disse...

Mt bom! Adorei!!

Um quotidiano a 1001 cores disse...

que frase? :p